outubro 11, 2012

Translúcida sensatez


Levo flores até você
umedecidas de carinho, paz e afeto
cultive-as, mesmo sem motivo ter
isso me fará feliz por ter você por perto...

Algo me inspirou e te fez virar canção
num momento de translúcida sensatez
nuvens coloridas tornaram-se doces de algodão
aliviando um semblante de saudade, uma quase embriaguez!

Belo o seu sorriso, um cheiro de jasmim
olhos que condizem com a ternura da magia
rosto que transmite uma luz sem fim
braços que entrelaçam a cor da cor do dia-a-dia...

Olhando você, vejo a liberdade
retratada na forma mais sublime de querer
e envolvo-me em pensamentos ou meias-verdades
mais ou menos isso, sem ter um porque...

Amanhece o dia e nele estará mais uma vez você!!!



BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T3820284


Arco-íris


Tantos, quantos arcos hão de mirar
Tantas, hajam flechas, hão de sentir
Tantas, hajam letras, hão de soletrar
Tantos, quantos sorridentes hão de só ouvir....

Quantas bocas fechadas querem murmurar
O sentido óbvio de fazer-se ouvir
Quantos olhos fechados hão de se envergonhar
Por estar num muro e se omitir....

Já disseram que o tempo é o senhor da razão
Que a vida é um projeto de pretérita sensatez
Mas fizeram em silêncio toda essa implosão
E em trajes de gala tornaram-se nudez....

Por isso, prefiro as cores,
das íris ou dores
semblantes e amores
pois é hora de recomeçar....

Porque o tempo
É aqui e agora
E, sem demora, é hora de plantar!



BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T3860029


janeiro 26, 2012

Força de um sentimento

Imagem: NET


Invisto nesse sentimento puro
sabendo a importância desse amor
algo indescritível, posso dizer...
belos são os seus olhos e você, a fina flor!

E tudo torna-se mágico
leveza, harmonia, amor e poesia
lindo é viver um sonho lógico
e ter você no dia-a-dia...

E a força desse sentimento
se faz pelo pulsar que aflora
é como um acorde num lamento
é como o pontear de uma viola...

Você é força, razão que propaga
anseios e cores, que só você é capaz
é uma mão que me afaga
é um sorriso que transmite paz...

Razão de uma força que transmite vida
você é fonte que transborda amor
e cicatriza qualquer ferida
e faz de mim um sonhador!


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2045177
*MUSICADO POR: LIO DE SOUZA

abril 15, 2011

Era um tempo

Imagem: NET


Era um tempo, o tempo dela
eram flores na janela
e o arco-íris dava as boas-vindas!

Era sintonia, era o sorriso dela
era alegria no “lá vem ela”
e o luar era o cenário!


Era noite e a silhueta dela
aliviava a cor mais bela
do gris que foi finito!

E o dia amanheceu sem ela
já não existia ela
era o prenúncio de uma forte tempestade!

E a palidez da tez se fez presente
e num gesto de repente
pendurou minha vontade num varal...

Era um tempo, o tempo dela
como num templo, contemplar era
a cor sem cor do amor por ela!


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2045800

Plenitude

Imagem: NET


Saber extrair de simples palavras
o sumo dos sonhos indizíveis...
Saber extrair de simples momentos
o gozo pleno dos atos inexplicáveis...

Saber sentir nas suaves flores
tantos perfumes esquecidos
saber fruir das sete notas
todas as músicas possíveis...

Saber ouvir das eternas estrelas
notícias de planetas desconhecidos
saber fluir como perenes rios
a esperança de certos oceanos...

...Atlânticos e Pacíficos!!!


BY ROBSON RUAS/DILERMANO COELHO
(DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2049252

Ocidente sem lei

Imagem: NET


Pequei em Pequim
xinguei em Xangai
na ásia me ví, eu sei
arigatô, sayonara, joh-rei!

Sou filho de Gandhi
Indira me dirá
se na ásia sou grande
ou Gandhi me engrandecerá.

Não sou filho da ásia
dei asas e me libertei
ví a noite ser dia
e do fuso não me livrei.

Sei que eu sou cafuzo
mistura de caboclo e rei
filho de negro e índio
de um ocidente sem lei.


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2051483

Belle morena

Foto: LIANA


Ao som dos acordes dissonantes
Pude ler o teu olhar
E na íris pude ver a cada instante
O brilho intenso ao viver o verbo amar.

E da janela dos seus olhos, uma silhueta
Se formava em arco-íris, em tórridos tons
No coração, um efeito borboleta
Transformava em anil as cores marrons.

Belle morena, flor intensa, pétala, coração
Cor do sentido, flor da cor da emoção
Belle morena, flor de cheiro, belo jasmim
Botão da flor, da flor da cor do meu jardim.

E contemplando complacente o seu sorriso
Pude ler o teu pensar
E os seus lábios me amavam a cada instante
De um jeito insano como se deve amar.

E o coração, flor da emoção, do bem-querer
Que nos conduz e nos induz à uma razão
Que alimenta você de mim, eu de você
E o amor faz tudo virar canção!

Belle morena, flor intensa, pétala, coração
Cor do sentido, flor da cor da emoção
Belle morena, flor de cheiro, belo jasmim
Botão da flor, da flor da cor do meu jardim.


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2298880

janeiro 31, 2010

No apagar das luzes!

Foto: ARQUIVO


E tudo estava perfeito
no apagar das luzes tudo começaria
pois meses a fio de ensaios
prometiam amor e sincronia...

Os músicos, protagonistas da cena
sabiam de cor o que iriam fazer
tinham combinado os acordes
e estavam prontos, pra fazerem acontecer...

Improvisos faziam parte da festa
invenções seriam o melhor do show
mas tudo não passou de um sonho...
e, sem começar
fechou-se a cortina
e tudo acabou!!!


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2137874

janeiro 01, 2010

Acalanto caipira

Óleo s/ tela ALMEIDA JÚNIOR


Sou estrada, cantador, eu sou poeira
causos, versos, que vêm e vão...
sou leveza, tempestade, agonia
sou tristeza num acúmulo de paixão.

Sou cantiga, acalanto caipira
sou a viola que expressa um só cantar
sou o acorde que entoa uma melodia
e a saudade que da vida vou levar.

Sou poeira, sou aboio, cavalgada...
a ordenha que alimenta uma nação
sou o canto do vaqueiro em disparada
segurando o seu arreio em procissão.

Sou viola num acalanto caipira
com um berrante tô no campo, eu sou peão
sou o verso num repente de improviso
sertanejo...eu sou o cheiro desse chão.


BY ROBSON RUAS (DIREITOS RESERVADOS)
PUBLICADO NO "RECANTO DAS LETRAS"
CÓDIGO DO TEXTO: T2048622
*MUSICADO POR: LIO DE SOUZA